Suspensão de empréstimo anunciado pelo governo não atende a todos os acrianos que têm empréstimo consignado em folha

Questiono às autoridades que governam esse Estado: Quer dizer que a propaganda anunciada nos meios de comunicação, de que os servidores do Estado do Acre, teriam o direito de "suspender" seus empréstimos por 4 meses, não passa de falácia?
Vamos aos fatos:
1 - Será que quem sofreu com a enchente do Rio Madeira, foram apenas os servidores que tem contratos para com o Estado? Que somente eles(servidores do quadro do Estado), são os que foram aos supermercados e compraram os produtos mais caros, foram eles apenas que passaram horas e horas nas filas para abastecer seus carros e motos? ou os servidores municipais das prefeituras de Senador Guiomard por exemplo, não sofreram com o ESTADO DE CALAMIDADE DECRETADO PELO SENHOR GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, SEBASTIÃO VIANA?
2 - Mesmo sendo esses(servidores estaduais) os únicos, a serem beneficiados à suspensão de seus empréstimos, quando chegam aos bancos se deparam com outra realidade, pois o anunciado nas propagandas governamentais, é que teriam seus empréstimos suspensos por 4 meses, quando na verdade, só terão o direito de renegociar suas dividas arcando com juros altíssimos e que não precisaria de tanta propaganda para tal feito, pois qualquer cidadão que tem um empréstimo pode renegociar a dívida, arcando com os juros, ou fazer um empréstimos e tendo quatro meses de carência para poder começar a pagar(acréscimos de juros correspondente aos 4 meses).
Hoje(23), os representantes sindicalistas do Estado se reuniram com os Deputados Estaduais para que haja uma reunião com o Governador e Bancos para que seja revista toda essa situação.
Não sejamos hipócritas, pois todos os acrianos, desde o mais rico ao mais pobre em todas as atividades econômicas sofreram e estão sofrendo com esse Estado de Calamidade Pública, então que seja de direito de todos a suspensão dos empréstimos, afinal o Acre, não é composto apenas de servidores estaduais, mas como de federais e municipais.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.