Oca, Índio, onça e desenvolvimento sustentável

Sabemos que para ser um bom repórter tem que pelo menos dominar as normas ortográficas e diga se de passagem às novas. Pois muito bem, quero deixar aqui minha INDIGNAÇÃO para com aquela que se diz repórter representante do G1 em Rio Branco, capital do Estado do Acre na Região Norte do Brasil, América do Sul, GABRIELA GASPARIN, que numa reportagem puramente preconceituosa, ignora o povo acriano afirmando em sua reportagem o espanto das pessoas que moram nesse estado, para com o SHOPPING VIA VERDE.
É claro, que as senhoras entrevistadas  pela "repórter" nunca teriam ido a um Shopping, por que talvez nunca tenham ido a uma outra cidade cuja tenha um, pois como todo mundo sabe, esse é o primeiro empreendimento que podemos denominar de shopping. Entrevistar senhoras, que em suas emoções por está vendo um shopping pela primeira vez, que de maneira inconsciente estariam expondo o povo acriano como sendo povo que talvez só conheciam OCAS de ÍNDIOS, pois pela conotação  com qual a que se diz repórter escreve, parece que o shopping que conhecíamos  era as OCAS. Esse fato de que no Acre só existem  índios e que nós  ficamos  abismados com tudo que para alguns do Centro Sul é mera novidade, deve cair aos pés daqueles que desconhecem o verdadeiro nível  de desenvolvimento em que se encontra esse estado, pois colocar em uma matéria o espanto de senhoras por ar condicionado, atrativos, cinema, confundir manequim com seres humanos só faz percebermos o desconhecimento da  verdadeira realidade desse povo que teve que lutar para pertencer ao Estado Brasileiro. Digo a essa repórter que para se designar de fato jornalista, deve-se conhecer a História e Geografia do local que se vai fazer a reportagem.
É lógico, que existem onças, ocas, índios e macacos, pois moramos num local que é disputado pelo mundo inteiro por suas riquezas naturais que tanto servem para interesses não só daqueles que residem no Centro Sul, mas por todos que sabem que aqui está acontecendo de fato um desenvolvimento sustentável, onde podemos conviver em plena harmonia com a floresta amazônica, fato que não acontece nos grandes centros que diariamente convivem com mazelas preocupantes às autoridades constituintes. Isso não significa  dizer que convivemos com índios que não conhecemos  a civilização e que de fato nos espantamos com ar condicionados e tudo que exista em um shopping, que ainda fazemos feira pescando e caçando, que fazemos nossos pratos de argilas e que levamos nossos filhos à escola montados em onças ou macacos. Pura ignorância dos ANALFABETOS POLÍTICOS, TECNOLÓGICOS E  GEOGRÁFICOS, que desconhecem esse Estado que para eles parece não pertencer a essa federação.
O fato de não ter escadas rolantes, é outro absurdo por parte da repórter, pois não se faz necessário em um empreendimento deste porte.
Termino esse artigo, perguntando à repórter e a todos que desconhecem esse Estado: Quem foram os primeiros habitantes deste país? Respondo: Claro que foram os índios. A diferença é que nós acrianos não exterminamos os nossos... e por isso ainda existe nas nossas florestas, quando falo nossa, é do povo brasileiro. pergunto ainda: Por que a nossa biodiversidade é tamanha? Por que não praticamos em momento alguma da história a caça predatória... Talvez seja por isso que nas nossas florestas exista milhares de espécies e que em nosso parque Chico Mendes, exista ONÇAS, MACACOS e várias outras espécies animais.
Leiam a reportagem absurda da GABRIELA GASPARIN, a repórter   analfabeta Tecnológica e Geográfica, clicando aqui.

Eudiran Carneiro
Professor de Ciências Humanas
Especialista em Ciências Sociais
Mestrando em Educação

Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.