O que é tecnologia da informação, genética e nanotecnologia?


Os alunos do Projovem Urbano do Quinari, deverão ler estes textos abaixo e fazer um comentário acerca dos conceitos expostos. 

Tecnologia da da Informação

TIA Tecnologia da Informação (TI) pode ser definida como o conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação que visam permitir o armazenamento, o acesso e o uso das informações. Na verdade, as aplicações para TI são tantas - estão ligadas às mais diversas áreas - que há várias definições para a expressão e nenhuma delas consegue determiná-la por completo.
Sendo a informação um patrimônio, um bem que agrega valor e dá sentido às atividades a utilizam, é necessário fazer uso de recursos de TI de maneira apropriada, ou seja, é preciso utilizar ferramentas, sistemas ou outros meios que façam das informações um diferencial. Além disso, é necessário buscar soluções que tragam bons resultados, isto é, que permitam transformar as informações em algo de maior valor ainda, principalmente se isso for feito considerando o menor custo possível.
A questão é que não existe "fórmula mágica" para determinar como utilizar da melhor maneira as informações. Tudo depende da cultura, do mercado, do segmento e de outros aspectos relacionados ao negócio ou à atividade. As escolhas precisam ser bem feitas. Do contrário, gastos desnecessários ou, ainda, perda de desempenho e competitividade podem ser a consequência.
Tome como base o seguinte exemplo: se uma empresa renova seu parque de computadores comprando máquinas com processadores velozes, muita memória e placa de vídeo 3D para funcionários que apenas precisam utilizar a internet, trabalhar com pacotes de escritório ou acessar a rede, a companhia fez gastos desnecessários. Comprar máquinas de boa qualidade não significa comprar as mais caras, mas aquelas que possuem os recursos necessários.
Por outro lado, imagine que uma empresa comprou computadores com vídeo integrado à placa-mãe (onboard) e monitor de 15 polegadas para profissionais que trabalham com Autocad. Para esses funcionários, o correto seria fornecer computadores que suportassem aplicações pesadas e um monitor de, pelo menos, 19 polegadas. Máquinas mais baratas certamente conseguiriam rodar o programa Autocad, porém com lentidão, e o monitor com área de visão menor dá mais trabalho aos profissionais. Neste caso, percebe-se que a aquisição das máquinas reflete diretamente no desempenho dos funcionários. Por isso, é preciso conhecer quais as necessidades de cada setor, de cada departamento, de cada atividade, de cada indivíduo.
Veja este outro exemplo: uma empresa com 50 funcionários, cada um com um PC, adquiriu um servidor de rede que suporta 500 usuários conectados ao mesmo tempo. Se a empresa não tem expectativa de aumentar seu quadro de funcionários, comprar um servidor deste porte é o mesmo que comprar um ônibus para uma família de 5 pessoas. Mas o problema não é apenas este. Se este servidor, por alguma razão, parar de funcionar, a rede ficará indisponível e certamente atrapalhará as atividades da empresa. Neste caso, não seria melhor adquirir um servidor mais adequado às necessidades da companhia ou mesmo considerar o uso de uma solução baseada em computação nas nuvens, por exemplo?

Tecnologia genética


A detecção de doenças genéticas, antes ou depois do nascimento, está a ser aperfeiçoada graças aos avanços tecnológicos; o avanço é especialmente rápido no campo relacionado com o DNA.
O projecto do genoma humano, actualmente em marcha, tem como objectivo a identificação e o traçado do mapa de todos os genes dos cromossomas humanos. O genoma é o conjunto dos genes de um indivíduo. Em cada locus de cada um dos cromossomas encontra-se um gene e a função de um certo locus, como determinar a cor dos olhos, é a mesma em todos os indivíduos. No entanto, o gene específico que está nesse lugar varia e confere a cada um as suas características individuais.
Utilizam-se diversos procedimentos para obter as cópias necessárias de um gene para o seu estudo. A clonagem é o método que permite obter reproduções de um gene humano no laboratório. Habitualmente, o gene que se quer copiar é ligado ao ADN do interior de uma bactéria e, de cada vez que esta se reproduz, realiza uma cópia exacta de todo o seu ADN, incluindo o gene acrescentado. Como as bactérias se multiplicam muito rapidamente, produzem-se em pouco tempo milhões de cópias do original.
Outra técnica para copiar o ADN utiliza a reacção em cadeia da polimerase (PCR). Um segmento específico de ADN, que contém um gene determinado, pode ser copiado (amplificado) mais de 200 000 vezes no laboratório em poucas horas. O ADN de uma só célula é suficiente para iniciar uma reacção em cadeia da polimerase.
Para localizar um gene específico num determinado cromossoma utiliza-se uma sonda de ADN, que é um gene clonado ou copiado a que se junta um átomo radioactivo. A sonda marcada selecciona um segmento de ADN complementar e une-se a esse segmento; a sonda em questão pode detectar-se, então, através de técnicas sofisticadas de fotografia. Com este procedimento diagnostica-se um bom número de doenças antes do nascimento ou depois do mesmo. No futuro é provável que as sondas genéticas sejam capazes de examinar os indivíduos e detectar a presença de doenças genéticas graves, embora nem todos os portadores do gene de uma doença possam vir a desenvolvê-la.
Uma técnica habitual para identificar o ADN é a prova de Southern blot, que consiste na extracção do ADN da célula do indivíduo e na sua divisão em fragmentos exactos com um enzima denominado endonuclease de restrição. Os fragmentos separam-se num gel por electroforese, colocam-se num filtro de papel e cobrem-se com uma sonda previamente marcada. A identificação do fragmento de ADN correspondente obtém-se pelo facto de que a sonda só se une à sua imagem complementar.

O que é a nanotecnologia? 

A nanotecnologia é a capacidade potencial de criar coisas a partir do menor, usando as técnicas e ferramentas que estão sendo desenvolvidas nos dias de hoje para colocar cada átomo e cada molécula no lugar desejado. Se conseguirmos este sistema de engenharia molecular, o resultado será uma nova revolução industrial. Além disso, teria também importantes conseqüências econômicas, sociais, ambientais e militares. 

A palavra "nanotecnologia" foi popularizada por Eric Drexler, nos anos 80, referia-se à construção de máquinas em escala molecular, de apenas uns nanômetros de tamanho: motores, braços de robô, inclusive computadores inteiros, muito menores do que uma célula. Drexler passou os seguintes dez anos a descrever e analisar esses incríveis aparelhos e a dar resposta às acusações de ficção científica. No entanto, a tecnologia convencional estava desenvolvendo a capacidade de criar estruturas simples à escala reduzida. Conforme a nanotecnologia se converteu num conceito aceite, o significado da palavra mudou para abranger os tipos mais simples de tecnologia à escala nanométrica. A Iniciativa Nacional de Nanotecnologia dos Estados Unidos foi criada para financiar esse tipo de nanotecnologia: a sua definição inclui qualquer elemento inferior a 100 nanômetros com propriedades novas. 

fala-se com freqüência da nanotecnologia como uma "tecnologia de objetivos gerais". Isso se deve ao fato de que na sua fase madura terá um impacto significativo na maioria das industrias e outras áreas da sociedade. Melhorará os sistemas de construção e possibilitará a fabricação de produtos mais duráveis, limpos, seguros e inteligentes, tanto para a casa, como para as comunicações, os transportes, a agricultura e a industria em geral. 
Imagine-se dispositivos médicos com capacidade para circular na corrente sanguínea e detectar e reparar células cancerígenas antes de que se estendam. Imagine-se o que seria "encolher" todo o conteúdo da Biblioteca Nacional num dispositivo do tamanho de um cubo de açúcar. Ou então desenvolver materiais dez vezes mais resistentes que o aço e com apenas uma fração do peso. - U.S. National Science Foundation

Tal como já aconteceu com a eletricidade ou os computadores, a nanotecnologia melhorará em grande medida quase todas as facetas da vida diária. Como tecnologia de objetivos gerais, porém, teria um uso duplo, ou seja, teria múltiplas aplicações comerciais e também militares : seria possível produzir, por exemplo, armas e aparelhos de vigilância muito mais potentes . A nanotecnologia representa, portanto, incríveis vantagens para a humanidade, mas também graves riscos. 

A base da nanotecnologia é o fato de que não só oferece produtos aperfeiçoados como também uma ampla variedade de melhores meios de produção. Um computador pode fazer cópias de ficheiros de dados; basicamente tantas cópias como quisermos a um custo muito reduzido ou mesmo inexistente. Pode ser apenas uma questão de tempo até que a fabricação de produtos se torne tão barata como a cópia de ficheiros. Aqui reside a verdadeira importância da nanotecnologia, por isso é vista às vezes como “a próxima revolução industrial”. 

Na minha opinião, a revolução nanotecnológica tem o potencial de mudar América numa escala igual, senão maior, do que a revolução informática. - U.S. Senador Ron Wyden (D-Ore.) 
Seria possível condensar o poder da nanotecnologia num aparelho, na aparência simples, chamado nanofábrica, cheio de minúsculos processadores químicos, computadores e robôs e que poderia ir colocado no seu computador pessoal. Os produtos seriam fabricados diretamente a partir dos projetos e, portanto, tratar-se-ia de um processo rápido, limpo e barato. A nanotecnologia não só permitiria a fabricação de produtos de alta qualidade a um custo muito reduzido como também a criação de novas nanofábricas com o mesmo custo e velocidade. É mesmo por essa capacidade única de auto-reprodução (para além da biologia, evidentemente) pelo que a nanotecnologia se denomina “tecnologia exponencial”. Refere-se a um sistema de fabricação que, por sua vez, seria capaz de produzir mais sistemas de fabricação-fábricas que produzem outras fábricas de maneira rápida, barata e limpa. Os meios de produção poder-se-iam reproduzir exponencialmente. Portanto, em apenas umas semanas, poderíamos passar de um reduzido número de nanofábricas para vários bilhões. Constitui, então, um tipo de tecnologia revolucionário, transformador, potente, mas também com muitos riscos - ou vantagens - potenciais. Quanto tempo demorará a ser uma realidade? Os analistas mais prudentes falam num período de 20 ou 30 anos a partir de agora, ou ainda mais tarde. No entanto, alguns especialistas receiam que possa acontecer muito antes, provavelmente durante a próxima década. Isto é devido ao rápido avanço das novas tecnologias como, por exemplo, no campo da óptica, nanolitografía, mecânoquímica e criação de protótipos em 3D .


Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.