Leia a íntegra do poema recitado por Marina no debate da Band

Marina terminou suas considerações finais no debate da Band, no último dia 5, declamando um poema que havia sido feito por ela após visitar a comunidade do Coque, em Recife. Na Escola Popular de Direito Constitucional Pequeno Cidadão, a senadora conheceu Dado, um menino alegre e espontâneo, homenageado pelo poema.
Pequeno Dado – por Marina Silva

Eis um pequeno Dado
Jogado por sobre a mesa:
Ali nada era certeza
Tudo era interrogar.
Mas, para minha surpresa,
Na forma de um colosso,
o pequeno Dado jogado,
Era de carne e osso
E sabia até cantar.
Pulava, gingava e sorria,
Cheio de alegria
No milagre do olhar,
No cuidado e na labuta
De René, Nega e Ângela,
Mulheres que nos constrangem
A também lhe enxergar.
A também a dar-lhe a voz
Voz que em cada um de nós,
Visitantes, jornalistas,
Fotógrafos a perder de vista,
Se embargava no chorar.
Vendo aquele Dado exposto
Num lugar de dar desgosto
Que nem dá para explicar
Como é que aquele Dado
Lá no Coque tão jogado
Podia ser tão garboso,
Podia ser tão charmoso.
Hip-hop, capoeira, cantor,
Constitucionalista,
Denunciador de injustiça,
Com quatro anos de idade?
Dado, meu pequeno Dado
Que Dilma, Serra, Plínio ou Marina
Ajude a mudar a sina
De tantos Dados jogados.
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.