Acreano é eleito secretário-geral da União Brasileira de Estudantes Secundaristas

Ele cita como conquista recente da Ubes a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio -Enem - para unificar os vestibulares e democratizar o acesso à universidade.

Caio faz parte da Juventude Petista e atua nos movimentos de lutas estudantis há cinco anos/Fotos: Wania Pinheiro
Caio faz parte da Juventude Petista e atua nos movimentos de lutas estudantis há cinco anos/Fotos: Wania Pinheiro

O acreano Caio Pinheiro, 19 anos, foi eleito secretário-geral da União Brasileira de Estudantes Secundaristas- Ubes- em uma votação do congresso nacional da entidade o qual ocorreu no fim do ano passado. É a primeira vez em que o Acre participa da direção nacional da Ubes e elege uma delegação de estudantes.

Caio faz parte da Juventude Petista e atua nos movimentos de lutas estudantis há cinco anos. Ele começou no grêmio da escola Armando Nogueira quando estudava o primeiro ano do ensino médio.

O jovem morador do bairro Estação Experimental é filho de um comerciário e de uma auxiliar administrativa. Ele defende aproximação da Ubes com os estudantes e a presença da entidade nos lugares mais longínquos do país.

Segundo ele, o interesse pelo movimento estudantil começou quando o chamaram para participar de uma reunião do grêmio da escola onde estudava. “Eu não entendia nada”, afirma. “Após freqüentar algumas reuniões, comecei a conhecer um pouco de política”.

Para Caio, a resistência dos estudantes contra a ditadura militar o motivou para engajar-se politicamente. “Me senti parte daquela luta”, destaca.

Apesar de ser petista, o jovem diz que a educação no Brasil não se encontra na melhor situação. Propõe reforma no ensino médio. “Hoje é muito ‘decoreba’ o ensino. Os profissionais de educação precisam de mais capacitação. São visíveis alguns avanços, mas é preciso trabalhar ainda mais”.

Ele cita como conquista recente da Ubes a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio -Enem - para unificar os vestibulares e democratizar o acesso à universidade. “O fim do vestibular é uma luta do movimento”.

Caio faz críticas aos estudantes do Acre ao dizer que no Estado o movimento estudantil não tem identidade. Para ele, falta conscientização e politização na juventude.” Os jovens sofrem uma alienação, como em todos os lugares do mundo”.

“Não é só no Acre. O movimento estudantil no Brasil é mercantilista e serve muitas vezes para ajudar em campanhas políticas de certos candidatos e desviar dinheiro. Não lutam por políticas públicas para os estudantes”, comenta.

Indagado sobre as eleições deste ano, Caio declara voto a Dilma Roussef para presidente. No Acre, os correligionários de partido dele também têm preferência.

“O governo de Lula foi o melhor da história. Ele assumiu a cara do Brasil. Acredito que o povo vai continuar esse projeto de desenvolvimento. Do mesmo jeito, deve acontecer aqui no Acre”, encerra.


Ubes

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) representa os alunos dos ensinos fundamental, médio, técnico, profissionalizante e pré-vestibular.

Reúne em torno de si todos os grêmios das escolas públicas e particulares, além das entidades estaduais e municipais secundaristas. Desde 1948, a Ubes defende a juventude, a educação e uma nação livre e soberana, ao lado dos principais movimentos sociais.

Os estudantes secundaristas participaram de diversos momentos da história do país, como na época da ditadura militar, no governo de Fernando Collor com os caras-pintadas, durante o governo de Fernando Henrique contra o neoliberalismo no Brasil e na América Latina.

Fonte: Contilnet

Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.