Poesia de Sexta 27


FIDELIDADE


Põe-me como selo no teu ser
Usa-me como símbolo do teu viver
Pois para mim tu és o ar que respiro

Meu amor é mais forte que a morte
Mais duro que a sepultura
Tu és como a rosa entre os espinhos

Como os lírios dos vales
Sempre meigos e belos

Dar-me o selo da tua fidelidade
Na minha dor seja meu remédio
Na minha tristeza seja meu consolo

O verdadeiro amor é aquele que
Suporta a ausência
É viver de saudades

O amor verdadeiro nunca morre
Dorme para acordar mais belo
Em todos esses dias lembre

Para mim teus lábios são mais
Doces que o mel, e mais quente
Que as brasas das fogueiras

Que iluminam meu céu!

EUDIRAN CARNEIRO
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.